Um sonho todo azul


Uma vez me perguntaram o que machucava mais, palavras, ou o silêncio. No momento, não soube responder, pensei em arriscar, dizendo que as palavras machucavam mais, porque afinal de contas, muitas pessoas abusam das palavras, as soltam, todas de vez, e nos ofendem, nos machucam, sem se importar, sem pensar em futuras consequências. Mas, e o silêncio? Falo desse silêncio que nos rodeia agora. Ele é tão perturbador, você não acha? Há dias atrás não te questionaria, nem me questionaria, porque suas palavras confirmavam seus atos, iam de acordo, apenas, mas agora, o silêncio preencheu todos os espaços vazios que insistentemente nos separam, e sinto falta da nossa luta, luta por preenche-los, da nossa luta para manter esse amor vivo. Sinto falta de te ouvir dizendo o que sentia, e odeio conjugar esse verbo no passado, ”sentia”, odeio a ideia de que talvez, você não sinta mais nada. Gosto de te imaginar perguntando a si mesma que besteira estou dizendo, daquele seu jeito irônico, irônico, porém encantador. Gosto de lembrar da forma como você lida com todos os problemas que precisa enfrentar, que sempre precisou enfrentar, gosto apenas de te imaginar, de qualquer jeito, aborrecida, feliz, de qualquer jeito, de todo o jeito, o simples fato de te imaginar, tendo posse sobre você, me enche de felicidade, me preenche, preenche os espaços que outrora estavam vazios. Então, se não for pedir demais, volta pra mim? Volta pra cá, preenche junto comigo todos esses espaços, será que dói tanto em você como dói em mim vê-los vazios? Será que essa distância te entristece assim como entristece a mim? Não falo da distância física, falo dessa distância, sentimental, dói tanto de ter tão perto, aqui, dentro desse coração, mas ao mesmo tempo te ter tão distante.. Volta, traga consigo todas as coisas boas, todas as coisas que sempre me trouxe, sorria e me diga novamente que sou a razão desse sorriso, que na verdade, sou a razão de todos os seus sorrisos. Apenas volta, já aprendi que o silêncio é pior do que qualquer palavra, prefiro escutar suas palavras ditas da boca pra fora, ainda que me magoem por instantes, mas são suas palavras, e o simples fato de serem ditas por você, faz com que eu me sinta melhor. 
Camila Barreto (c0ntraditoria) 
Uma vez me perguntaram o que machucava mais, palavras, ou o silêncio. No momento, não soube responder, pensei em arriscar, dizendo que as palavras machucavam mais, porque afinal de contas, muitas pessoas abusam das palavras, as soltam, todas de vez, e nos ofendem, nos machucam, sem se importar, sem pensar em futuras consequências. Mas, e o silêncio? Falo desse silêncio que nos rodeia agora. Ele é tão perturbador, você não acha? Há dias atrás não te questionaria, nem me questionaria, porque suas palavras confirmavam seus atos, iam de acordo, apenas, mas agora, o silêncio preencheu todos os espaços vazios que insistentemente nos separam, e sinto falta da nossa luta, luta por preenche-los, da nossa luta para manter esse amor vivo. Sinto falta de te ouvir dizendo o que sentia, e odeio conjugar esse verbo no passado, ”sentia”, odeio a ideia de que talvez, você não sinta mais nada. Gosto de te imaginar perguntando a si mesma que besteira estou dizendo, daquele seu jeito irônico, irônico, porém encantador. Gosto de lembrar da forma como você lida com todos os problemas que precisa enfrentar, que sempre precisou enfrentar, gosto apenas de te imaginar, de qualquer jeito, aborrecida, feliz, de qualquer jeito, de todo o jeito, o simples fato de te imaginar, tendo posse sobre você, me enche de felicidade, me preenche, preenche os espaços que outrora estavam vazios. Então, se não for pedir demais, volta pra mim? Volta pra cá, preenche junto comigo todos esses espaços, será que dói tanto em você como dói em mim vê-los vazios? Será que essa distância te entristece assim como entristece a mim? Não falo da distância física, falo dessa distância, sentimental, dói tanto de ter tão perto, aqui, dentro desse coração, mas ao mesmo tempo te ter tão distante.. Volta, traga consigo todas as coisas boas, todas as coisas que sempre me trouxe, sorria e me diga novamente que sou a razão desse sorriso, que na verdade, sou a razão de todos os seus sorrisos. Apenas volta, já aprendi que o silêncio é pior do que qualquer palavra, prefiro escutar suas palavras ditas da boca pra fora, ainda que me magoem por instantes, mas são suas palavras, e o simples fato de serem ditas por você, faz com que eu me sinta melhor. 

Camila Barreto (c0ntraditoria)