pra escrever: a sua boca é minha
"A porta da sala de aula rangeu. Precisei tocar discretamente o peito afim de conter as batidas frenéticas de um coração tão bobo. Quanto a ele? Nem um sinal… Mais um rangido! O amigo bobo parece ter entendido o recado e, ao menos dessa vez, conteve-se. O desvio de meus olhos - de tão súbito - fez a musculatura doer. Qual a dificuldade em ser discreta sem afetar um órgão diferente a cada tentativa? Outro rangido. A essas alturas já não importava a discrição, só queria culpá-lo por deixar alguém apaixonada de um jeito tão ridículo! Culpá-lo? Culpar? Culpa? De que raios estou falando se esse perfume vem da porta? Apresento-lhes a personificação da beleza acalmando o coração mais indiscreto do mundo. A postura completamente desconectada do redor. O ritmo corporal praticamente me cantando o que se esconde nos fones de ouvido. Quase posso visualizar 0,01% do que ainda me restou de razão com os dedos cruzados a implorar pra que ele guarde o sor-ri… Droga! Ele sorriu.”
Vai soar como um clichê adolescente. 
"Por favor, não me culpe por ser assim tão fria. Eu sei, vivo afastando todo mundo de mim. Isso é tão desprezível, me sinto mal por isso. Mas que posso fazer? Não cresci cercada de amor, logo, ainda não aprendi a recebê-lo. E ninguém tem paciência pra me ensinar… Mas se você chega de mansinho, com jeitinho, eu aprendo a te amar, eu ainda sei amar. E como sei. Por favor, só te peço que não me odeie simplesmente por não suportar meu ‘eu tosca’, é só uma proteção pra esconder toda a fragilidade que meu corpo e alma escondem desde que me senti só pela primeira vez.”
Por favor, não desista de mim agora. 
"Mania de jogar o cabelo pro lado. Mania de sorrir quando sente alguém olhando demais. Mania de coçar os olhos e olhar o visor do celular como se houvesse chegado alguma coisa e não viu. Mania de estudar escutando música e revirar os olhos sempre que escuta, ouve ou vê alguma bobagem. De sorrisos, de olhares, de vozes e cheiros. Mania de achar que nem tudo é aquilo que se vê. De imaginar situações com quem nunca viu e se arrepiar, sorrir, se desesperar por isso. Mania de fechar os olhos antes de dormir e te desejar boa noite em pensamento, dorme bem, sonha comigo, te quero muito e bem.”
Caio Fernando Abreu. 
"Se durmo sorrindo, as paredes todas sabem que é você.”
Camila Costa 
"Porque o amor ainda existe, ele pode estar bem escondido dentro do teu coração, bem trancado dentro dos teus olhos mas ainda existe. Você ainda ama sua mãe, seu pai e seu irmão, você ainda ama aquela sua blusa que ganhou, ainda ama seu cachorro. Você ainda gosta de ver as estrelas e observar as ondas do mar se quebrarem. Você sempre amará ter seus amigos do seu lado quando você precisar, você sempre amará quando alguém te disser que te ama sem motivos. Você sempre irá se sentir bem quando alguém lhe abraçar bem forte, e cada vez te apertar mais, pra te mostrar o quão importante você é. São coisas pequenas que sempre estarão dentro de ti, e mesmo que você queira, nunca sairá. A felicidade de se sentir amado é a mesma felicidade de sentir que amas alguma coisa, mesmo que pequena, mesmo que sem utilidades.”
Reaflorando. 
"Eu sou meio todo mundo. O engraçado, o chato, o romântico, o amigo e o solitário. No fim do dia não sei qual deles eu sou e o sentimento de ser ninguém me invade. Eu choro.”
Caio Augusto Leite.  
"Com o tempo, você analisa que abrir mão de algo muito importante, só se faz quando se tem um motivo maior que esse algo: seja um propósito, uma crença, um valor íntimo, uma obstinação qualquer que te oriente para essa escolha que já se sabia tão dolorosa. É um sacrifício voluntário por algo mais pleno, mais grandioso em Beleza. E, nestas análises, você descobre outras perdas que são positivas: perde-se também a ansiedade, a insegurança e a ilusão. E você aprende a recomeçar agradecendo por vitórias tão pequenininhas… Como quando é noite e antes de dormir você se enche de gratidão: ‘Deus, obrigada, porque é noite e eu tenho o sono… Que venha um sonho novo, então’.”
Marla de Queiroz 
©